vidro03

Blog de emharmoniacomomeioambiente :Coleta Seletiva do Lixo, vidro03

quarta 31 outubro 2007 22:17


Coleta Seletiva e Seus Benefícios!


 

Definição

Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito.

Para se proceder à Coleta Seletiva, é essencial que o material seja separado e acondicionado. Os vasilhames (vidro, lata e plástico) devem ser enxaguados após o uso. Assim, evita-se o surgimento de cheiro e o aparecimento de animais, aumentando o valor de revenda. Os papéis deverão estar secos e de preferência não amassados, pois ocupam menos espaço e têm mais valor. As latas, além de limpas, deverão ter as tampas pressionadas para dentro e os materiais cortantes, como vidro quebrado e outros, devem ser embalados em papéis grossos (jornais, por exemplo) para evitar acidentes.

Este sistema de separação traz mais vantagens para o processo da reciclagem pois:

  • melhora a qualidade dos materiais, evitando-se a mistura de componentes diferentes     no lixo que podem tornar muitos materiais potencialmente recicláveis inúteis, aí sim     irão virar lixo pela atitude mal pensada do gerador;
  • facilita o controle de impactos ambientais;
  • gera uma menor quantidade de rejeitos;
  • necessita de menor área de instalação das usinas;
  • proporciona menos gastos com esta instalação e com os equipamentos de separação, lavagem e secagem.

Benefícios

A reciclagem gera benefícios nos seguintes aspectos:

Sanitários

Contribui decisivamente para a melhoria da saúde pública

Ambientais

Evita a poluição do ambiente (água, ar e solos) provocada pelo lixo;
Aumenta a vida útil dos aterros sanitários, pois diminui a quantidade de resíduos a serem dispostos;
Diminui a exploração de recursos naturais, muitos não renováveis como o petróleo;
Reduz o consumo de energia;
É um grande passo para a conscientização de inúmeros outros problemas ecológicos

Econômicos

Representa uma grande atividade econômica indireta, tanto pela economia de recursos naturais quanto pela diminuição dos gastos com tratamento de doenças, controle da poluição ambiental e remediação de áreas degradadas e uso de espaços de reserva;
É também uma atividade econômica direta pela valorização, venda e processamento industrial de produtos descartados. - Diminui os gastos com a limpeza urbana;
Gera empregos para a população não qualificada;

Estimula a concorrência, uma vez que produtos fabricados a partir dos recicláveis são comercializados em paralelo àqueles feitos a partir de matérias-primas virgens;
Melhora a produção de compostos orgânicos, a partir da reciclagem de resíduos orgânicos (compostagem).

Sociais

A reciclagem garante ganhos sociais imensuráveis. Por exemplo: Tem-se a geração de empregos diretos, a possibilidade de união e organização da força trabalhista mais desprestigiada e marginalizada (em cooperativas de reciclagem) e a oportunidade de incentivar a mobilização comunitária para o exercício da cidadania, em busca de solução de seus próprios problemas.
Contribui para a diminuição da marginalidade, pois auxilia a retirada das pessoas dos lixões, e para a melhoria da qualidade de vida

Educacionais

As atividades de reciclagem, quer industrial ou artesanal, bem como as centrais de triagem ou usinas de compostagem, têm fortes vínculos com a formação e educação ambientais de crianças, jovens e adultos. Essas instalações, além de serem unidades de tratamento do lixo, podem funcionar como grande laboratório de ciências para que professores e alunos tenham aulas práticas e discorram sobre as várias áreas e atividades relacionadas com a reciclagem do lixo urbano;
Mobilização e participação comunitária;

Educação Ambiental

Dá oportunidade aos cidadãos de preservarem a natureza de uma forma concreta. Assim, as pessoas se sentem mais responsáveis pelo lixo que geram.

Políticos e Institucionais

Um programa institucional (em nível nacional) seria um importante mecanismo para mobilizar as comunidades, criar parcerias com o poder público e ressaltar a participação indispensável do cidadão no sucesso e alcance dos objetivos do processo, além de destacar seus vários benefícios para a coletividade.

quarta 31 outubro 2007 22:10


O Lixo e seus Mitos...

Blog de emharmoniacomomeioambiente :Coleta Seletiva do Lixo, O Lixo e seus Mitos...

 

A produção de resíduos é inerente à condição humana. Cada pessoa produz cerca de 300 quilos por ano e como um processo inexorável, tornou-se um problema de difícil resposta, que exige a reeducação e comprometimento do cidadão. O que acontece com o lixo depois que é jogado na lixeira? O que se faz com as toneladas de lixo recolhido diariamente?

O tempo que a natureza leva para decompor alguns dos produtos...
Papel: de 3 a 6 meses;
Pano: de 6 meses a 1 ano; 
Filtro de cigarro: 5 anos;
Chiclete: 5 anos;
Madeira pintada: 13 anos;
Nylon: mais de 30 anos;
Plástico: mais de 100 anos;
Metal: mais de 100 anos;
Borracha: tempo indeterminado;
Vidro: 1 milhão de anos.

Não há como não produzir lixo, mas podemos diminuir essa produção reduzindo o desperdício, reutilizando sempre que possível e separando os materiais recicláveis para a coleta seletiva.

O que pode ser feito:

A maior parte do que jogamos fora não é sujo, fica sujo depois de misturado. Separando os materiais que podem ser reciclados, a quantidade de lixo a ser coletado é muito menor.
Embalagens: ao comprar qualquer produto, não utilize várias embalagens (caixa + sacolinha + embrulho + sacolão + fitinha + etc). Não desperdice!

Reciclagem – uma alternativa

Cerca de 50% de todo material descartado como lixo pode ser recuperado como matéria-prima, sendo reutilizado na fabricação de um novo produto.
Quando pensamos na questão do lixo, o mais difícil de equacionar, e o que vai demandar maior pesquisa, é a destinação. Afinal de que adianta separar se não conhecemos o processo como um todo? Para onde vai o nosso lixo depois que o lixeiro passa? Há alternativas? O que fazer com o lixo separado? As alternativas de destinação atuais são ambientalmente satisfatórias? Como poderia melhorar? O que eu posso fazer? Essas são as perguntas que precedem qualquer iniciativa relativa a lixo. Elas devem ser o fio condutor tanto de um trabalho escolar quanto de uma proposta de logística. Afinal, se queremos participar devemos conhecer a fundo o processo de nossa cidade. Essas perguntas nos instrumentalizam para a mudança com os pés no chão.
Não existem respostas universais. Dessa forma, não existe um sistema de coleta seletiva que possa ser considerado universal e aplicável a toda e qualquer situação. Cada caso é um caso, cada cidade tem a sua peculiaridade e as questões condicionantes devem ser minuciosamente estudadas antes de escolhermos este ou aquele desenho de logística de coleta seletiva.
Precisamos estar preparados para os 4 fatores: quantidade, qualidade, freqüência e forma de pagamento; leis de mercado que muitas vezes inviabilizam a continuidade do programa de coleta seletiva.
No Rio de Janeiro, depois de uma urbanização promovida pela COMLURB, vieram a funcionar, embaixo de viadutos, as sedes das Cooperativas de Catadores de Lixo que são 15 no total.
Os Catadores juntam papel, plástico, alumínio (latas), ferro e vidro preferencialmente, vendendo-os para os consumidores de lixo selecionado que o usam como matéria prima, como fábricas de vidro, de latas, de plástico, etc...
Os Catadores só estão autorizados pela COMLURB a catar o lixo separado que encontram nas calçadas, nos dias da coleta regular, seguindo logo atrás do caminhão, para evitar que seja deixado lixo reciclável diariamente nas calçadas.
Isso ajudou por um lado, mas complicou por outro, pois a população desejosa em colaborar para a reciclagem de lixo e de separar o lixo para os Catadores Cooperativos, só podem ajudá-los levando para o viaduto mais próximo o lixo separado. Transportar o seu lixo reciclável é o que todos os países civilizados fazem, porém o fazem a pé, já que existem pontos de recolhimento, principalmente de vidro, em cada esquina.
Atualmente a Cooperativa da Barra consegue juntar 250 toneladas mensais, com uma meta de recolher 400 toneladas de lixo reciclável. Além disso, eles estão requisitando doação de carros velhos pois na Barra, devido às longas distâncias, recolher o lixo reciclável apenas com os carrinhos de mão se faz quase impossível.
Se você trabalha em um escritório que produz grande quantidade de lixo papel, por exemplo, ligue para a Cooperativa mais próxima para ver se é possível combinar uma freqüência de recolhimento.

segunda 29 outubro 2007 09:08


Coleta seletiva do Lixo

Blog de emharmoniacomomeioambiente :Coleta Seletiva do Lixo, Coleta seletiva do Lixo

Coleta Seletiva é um sistema de recolhimento de materiais recicláveis previamente separados na fonte geradora.

A separação na fonte evita a contaminação dos materiais reaproveitáveis, aumentando o valor agregado destes e diminuindo os custos de reciclagem.

Para iniciar um processo de coleta seletiva é preciso avaliar, quantitativamente e qualitativamente, o perfil dos resíduos sólidos gerados em determinado município ou localidade, a fim de estruturar melhor o processo de coleta.

 Principais formas de coleta seletiva

O símbolo internacional da reciclagem.
  • Porta a Porta – Veículos coletores percorrem as residências em dias e horários específicos que não coincidam com a coleta normal de lixo. Os moradores colocam os recicláveis nas calçadas, acondicionados em contêineres distintos;
  • PEV (Postos de Entrega Voluntária) - Utiliza contêineres ou pequenos depósitos, colocados em pontos físicos no município, onde o cidadão, espontaneamente, deposita os recicláveis;
  • Postos de Troca – Troca do material a ser reciclado por algum bem.
  • PICs - Outra modalidade de coleta é a PICs, Programa Interno de Coleta Seletiva, que é realizado em instituições públicas e privadas, em parceria com associações de catadores. Em Natal, capital do Rio Grande do Norte, o PICs é realizado em diversas empresas, fruto do trabalho da Companhia de Serviços Urbanos de Natal (URBANA), que realiza trabalhos de educação ambiental com crianças e adolescentes.

 Cores padronizadas das latas de lixo

 

quarta 24 outubro 2007 09:52


Cuide do seu Lixo

 

O Lixo é hoje um dos maiores problemas da humanidade. O que fazer com uma imensa quantidade de detritos que produzimos todos os dias? Onde depositar tamanha sujeira? Em média, cada brasileiro produz 1 kg de lixo por dia, enquanto americanos e europeus chegam a produzir 3 ou 4 vezes mais. Somando tudo isso, a quantidade de lixo é gigante, e a terra não tem condições de suportar tamanha agressão. 

Nas grandes cidades já é possível contar com a coleta seletiva do lixo, que encaminha cada tipo de resíduo para sua destinação mais apropriada. Mas cada cidadão deve ser consciente de que tem responsabilidade pelo lixo que produz. Se cada um de nós passar a prestar atenção no que produzimos de lixo e tomarmos algumas atitudes simples em relação a isso, poderemos contribuir para a redução na quantidade de lixo gerado e consequentemente iremos diminuir nosso impacto no meio ambiente.

ATITUDE 1 - CONSUMO RESPONSÁVEL

A maioria das coisas que compramos hoje vem embalada em plástico, vidro, metal, papel.... No final, essas embalagens acabam indo para o lixo, pois na verdade o que nos interessa é o produto em si que compramos. Ao comprar qualquer produto, passe a prestar atenção na quantidade de lixo na qual aquele produto vai se transformar. Procure então comprar produtos que gerem menos lixo, que não tenham tantas embalagens. Você estará ajudando o meio ambiente ao gerar menos lixo, e também o seu bolso, pois o custo de toda aquela embalagem que vai para o lixo está embutido no preço do produto.

ATITUDE 2 - LUGAR DE LIXO É NO LIXO

Nunca jogue lixo nas ruas, praças, praias, trilhas, cachoeiras... ou onde quer que seja. Todo lixo produzido deve ser jogado em tambores de lixo próprios, de preferência nos de coleta seletiva. Se você não tiver um tambor de lixo por perto, guarde seu lixo com você até encontrar um. Jogar lixo no chão é um ato de desrespeito com a natureza e sinal de grande falta de educação.

ATITUDE 3 - SEPARE SEU LIXO

Se na sua localidade, ou perto dela, existe a coleta seletiva de lixo, separe o lixo que você produz da seguinte forma.

LIXO MOLHADO: É constituído por materiais orgânicos (restos de alimentos) e papéis sanitários e de cozinha, que devido às suas características são enviados para o aterro sanitário. No caso dos orgânicos, eles podem ser aproveitados na produção de adubo usando-se da compostagem.

LIXO SECO: É constituído por embalagens plásticas, papéis, vidros e metais que são recicláveis, ou seja, irão passar por um processo de transformação para serem reaproveitados, economizando energia e matéria prima e ainda impedindo que esse material seja descartado no meio ambiente.

Veja nas tabelas abaixo como separar o seu lixo: Observe as cores.

LIXO MOLHADO (NÃO RECICLÁVEL)

Restos de Alimentos, Vegetais, Cascas de Frutas, Fraldas Descartáveis, Absorventes, Papel Higiênico e de Cozinha

 

PAPEL AINDA NÃO RECICLÁVEL

papel sanitário
papel-carbono
fotografias
fitas adesivas
stencil
bitucas de cigarro

VIDRO AINDA NÃO RECICLÁVEL

espelhos
vidros de janelas
box de banheiro
lâmpadas incandescentes e fluorescentes
cristais
utensílios de vidro temperado
vidros de automóveis
tubos e válvulas de TV
cerâmica
porcelana
pirex
marinex

METAL AINDA NÃO RECICLÁVEL

clipes e grampos
esponjas de aço

PLÁSTICO AINDA NÃO RECICLÁVEL

ebonite (cabos de panelas, tomadas)

       
 

LIXO SECO (RECICLÁVEL)

Cada tipo de Lixo Reciclável possui uma cor de identificação na hora da separação, que você pode reconhecer nos tambores de coleta seletiva:

 

PAPEL

caixa de papelão
jornal
revista
impressos em geral
fotocópias
rascunhos
envelopes
papel timbrado
embalagens longa-vida
cartões
papel de fax
folhas de caderno
formulários de computador
aparas de papel
copos descartáveis
papel vegetal
papel-toalha
guardanapo

VIDRO

garrafas de bebidas
frascos em geral (molhos, condimentos, remédios, perfumes e produtos de limpeza)
ampolas de remédios
potes de produtos alimentícios

 

METAL

latas de alumínio (cerveja e refrigerantes)
sucatas de reformas
lata de folha de flandres (lata de óleo, salsicha e outros enlatados)
tampinhas
arames, pregos e parafusos
objetos de cobre, alumínio, bronze, ferro, chumbo ou zinco
canos e tubos

 

PLÁSTICO

embalagens de refrigerantes, de materiais de limpeza, de alimentos diversos
copos plásticos
canos e tubos
sacos plásticos
embalagens Tetra Pak (mistura de papel, plástico e metal)
embalagens de biscoito
embalagens de produtos de higiene (shampoo, desodorantes, cremes, etc)

 

Em muitas cidades é possível encontrar cooperativas de catadores de lixo que recolhem os materiais recicláveis, retirando-os da natureza, e os encaminham para reciclagem. Ao venderem esses materiais, os catadores conseguem renda para o sustento de suas famílias. Doe seu lixo para essas cooperativas, mantenha sua cidade limpa e colabore com esse trabalho que sustenta muitas pessoas. 

 

segunda 22 outubro 2007 09:04



Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para emharmoniacomomeioambiente

Precisa estar conectado para adicionar emharmoniacomomeioambiente para os seus amigos

 
Criar um blog